Archive for the ‘padrões’ Category

OpenXML aprovado como padrão I$O

Foi de uma forma estúpida, mas o porco projeto OOXML da Microsoft foi aprovado como padrão de documentos pela ISO. Incrível ver o que o dinheiro consegue comprar… Acredito que as decisões dos membros deveriam se basear apenas em análise técnica… E ainda tem nego que vem falar comigo que a Microsoft é boazinha, honesta… Sim, eu acredito da mesma forma que acredito em coelho da Páscoa e Papai Noel.

Microsoft comprando votos na ISO

Technorati Tags: , , , , ,

Leia também:


Anúncios

As coisas se complicam para o OOXML

Linkando o ótimo artigo que li sobre a toda a questão do OOXML.

Sobre inovação, abertura e visão de mercado

Renomeando o artigo que Daniel Domeneghetti havia intitulado: API’s, Gates e Pelé.
Muito boa análise!

Ao anunciar a abertura de parte dos APIs de seus produtos, a Microsoft mais uma vez cedeu ao óbvio. Ou evolui, ou sai de cena.

Clayton
Christensen diz que as empresas líderes que se tornam reféns de grandes
clientes, de grandes produtos e de grandes modelos de negócios não
inovam e são banidas do mercado. Quem não inova perde o bonde da
competitividade. A Microsoft encontra-se mais uma vez em uma
encruzilhada estratégica.

Tecnologia é sobre evoluir. Ganhar dinheiro a partir da inovação.
Bill Gates sempre soube ganhar dinheiro, mas nunca foi bom em inovação.

No mundo fechado dos anos 80-90, copiar/comprar o inovador e
colocar o produto mais rapidamente no mercado funcionava. No mundo
aberto, da internet e do intangível, empresas fechadas são bichos mais
atrasados na escala darwinista da evolução corporativa.

Copiar
e/ou comprar está no DNA da Microsoft desde sempre. Não prever ou
reagir lentamente às rupturas também. Primeiro a Xerox com os sistemas
operacionais tipo Windows. Depois o Netscape com os navegadores de
Internet e Linus Torvalds com o Linux. No começo do milênio, seu maior
rival de ego, Steve Jobs, com a revolução “i” do entretenimento online
e, mais recentemente, a pedrada final do Google e os serviços online
gratuitos. Nada disso veio da Microsoft.

A empresa não entende
de cenários e conjunturas; entende de fazer melhor o que já faz. A
Microsoft é boa em incrementar o que faz; e comprar quem ameaça sua
posição, quem faz o que ela não faz, mas precisaria fazer.

Com
sua estratégia fechada-dominante, no mundo fechado dos anos 80-90. A
Microsoft dominou a onda dos sisops (sua vaca leiteira até hoje) e
quase perdeu a onda dos navegadores. Mas conseguiu vencer. Havia fit
entre sua estratégia e o comportamento do mercado.

No mundo
aberto da Internet, era óbvio era que a gigante de Redmond jamais
conseguiria vencer as redes de colaboração e produção compartilhada de
softwares. É bom, é aberto, é barato. Perdeu a hegemonia de boa parte
das categorias de produto, mas acima de tudo perdeu desenvolvedores,
evangelizadores e admiração de muita gente do meio. Brigou enquanto
deu. Gastou energia, dinheiro, prestígio e perdeu.

Gates se
afastou obcecado pelo Google. Quer comprar o Yahoo!. O Yahoo! não quer.
Quer dominar os serviços web. Mais uma vez vai tentar remendar
comprando o que deveria ter enxergado… se fosse uma empresa aberta em
seu DNA.

Mais ou menos como Tyson, Michael Jackson e os próprios
Estados Unidos, a Microsoft paga o preço do domínio. Quem está no topo
não enxerga bem o cenário. Se perde estrategicamente em seu esquema e
decide errado, faz besteira.

Empresas abertas inovam. Empresas fechadas quebram. Essa é a lei da física. Leiam Clemente Nóbrega.

Agora
a convergência móvel assusta. Google, Nokia e mais um bando de empresas
de tecnologia, internet, mídia, telecom e eletroeletrônicos são
concorrentes da Microsoft.

Estamos vivenciando uma guerra por
padrões, mercados, usuários, internautas, consumidores… tudo num
liquidificador só temperado com legislações e regulamentações
diferentes. Tudo muito incerto.

A Microsoft não vai quebrar. Tem
dinheiro e capacidade de reação. A Microsoft pode ser líder em algumas
linhas de produto, mas não vai mais ser hegemônica. Gates se tocou
disso. Gates fez como Pelé. Saiu enquanto era o número 1.

Fonte: IDGNOW

Technorati Tags: , , , ,

Hello 2008

Olá! Primeiro post do ano 2008. Assim como o Terramel, eu também estive muito ocupado com outros projetos, sendo um deles algumas coisas do GNOME. Bem, prometo ser menos turista por aqui. Bom 2008 pra todos.

Relacionados:

* 10/11/2007 – Djavan no Top 10 do Bugzilla?
* 20/07/2007 – Contribuição

Powered by ScribeFire.

Brasil diz NÃO ao OpenXML

Uma boa notícia. Depois da bagunça que foi a última reunião da ABNT, o voto do Brasil está decidido será “Não com comentários“.

:: Atualizado em 27/08
Terão o mesmo voto que o Brasil: Índia e China

:: Atualizado em 31/08
Microsoft descaradamente compra votos “ganha” algum apoio. Vergonhoso onde uma corporação pode chegar querendo impor sua vontade.

:: Atualizado em 04/09
ISO rejeita OpenXML, contudo, irá analisar a nova proposta com as correções dos comentários realizados.

Leia http://samadeu.blogspot.com/2007/08/abnt-rejeita-padro-open-xml-brasil.html
http://avi.alkalay.net/2007/08/impressoes-sobre-reuniao-final-da-abnt.html
http://br-linux.org/linux/ooxml-como-padrao-iso-china-vota-nao-com-comentarios
http://br-linux.org/linux/india-vota-contra-a-transformacao-do-ms-ooxml-
em-padrao-iso

http://hamacker.wordpress.com/2007/08/31/compra
-de-votos-nao-e-uma-
especialidade-politico-partidario-nacional-2/

http://br-linux.org/linux/iso-rejeita-formato-openxml-da-microsoft-como-padrao-
internacional

http://www.iso.org/iso/pressrelease.htm?refid=Ref1070

Sun – ON

“Estamos desinvestindo em tudo o que seja tecnologia proprietária e investindo apenas em plataformas abertas”

Palavras de Brian Wilson – Chief Technology Officer (CTO) da Sun Microsystems
Conseguem perceber o que ele quer dizer ?

Tapinha de luva

Depois de toda confusão com a União Eupéia, a Microsoft realiza evento (Windows Vista Readiness ISV Lab) para desenvolvedores, explicando detalhes do WinVista e mostrando como melhorar a interoperabilidade com o mesmo. Eis que entre os convidados estavam membros da Fundação Mozilla, responsável pelo browser Firefox, que é o principal ameaçador do IE. A Mozilla Fundation aceitou o convite, mas deixou bem claro o motivo. As palavras da resposta foram :
-Tudo bem, iremos, mas pelo Firefox.